FBF: Árbitro acidentado e indignado faz forte desabafo

Árbitro denuncia descaso, abandono e humilhação a que estão submetidos os que apitam o Intermunicipal e que muitos servem de “garotos de recado” para presidentes de Ligas nas eleições da FBF

O árbitro da Federação Bahiana de Futebol (FBF), Elias Gonçalves Rufino, em carta aberta e áudio divulgado pelas mídias sociais faz um desabafo duro contra o descaso da entidade com os que pertencem aos quadros e são do interior que, segundo ele, são sacrificados e, muitas vezes, passam por humilhação e abandono.

Depois de agradecer pela vida e por não ter havido morte no acidente, Elias Gonçalves Rufino, que também foi do quadro da CBF, pede desculpas aos envolvidos no acidente no carro que viajava, agradece aos amigos, critica o abandono aos que se encontram em situação semelhante e apela por apoio dos colegas árbitros.

Ainda na carta, acha que pode ser alijado a partir de agora de participar, inclusive, de jogos do Intermunicipal, e lembra a origem do atual presidente, que parece esqueceu o passado.

Em contato com árbitros que trabalham no Intermunicipal, que exigiram sigilo total e usaram intermediários, a reclamação vai mais além. Assim como sequer recebeu um telefonema, Elias não é a primeira vítima que não recebe atenção. Ele falou que ligou para o presidente da Comissão de Arbitragem da FBF, Wilson Paim, e não houve retorno de nenhum diretor da entidade. No passado, um árbitro capotou o carro e o tratamento foi o mesmo.

Cotas

O valor da cota é outra grande queixa. Nenhum árbitro ou assistente quis se identificar, mas informaram que o valor da cota para o trio é irrisório. Sequer cobre as despesas e, muitas vezes são obrigados, nas viagens, a dormir em casas de amigos ou quando vão de carro particular saíram à noite em estradas nem sempre em boas condições porque a diária não cobre hospedagem, alimentação nem o transporte. Familiares, inclusive, apelam para que abandonem a arbitragem, mas o amor pela profissão supera todos esses sacrifícios.

A íntegra da carta:

“Mesmo abalado, e ainda, em recuperação em virtude do grave acidente automobilístico que me envolvi no último sábado na rodovia que liga Eunápolis a Porto Seguro.

Quero pedir desculpas as demais pessoas envolvidas que também se machucaram neste acidente.

Agradecer a Deus pelo livramento de não ter vitima fatal e externar os meus agradecimentos aos amigos que se preocuparam comigo e com os demais envolvidos.

Ao mesmo tempo, registro minha indignação com a falta de sensibilidade e consideração do Sr. Ednaldo Rodrigues Gomes, presidente da FBF (Federação Bahiana de Futebol), da qual sou membro há mais de 21 anos como árbitro de futebol.

É lamentável que o presidente da instituição que pertenço não manifeste qualquer sentimento de preocupação e apoio a um dos integrantes da entidade a qual ele preside há vários anos, esquecendo que somos seres humanos e não apenas prestadores de serviços descartáveis como parece que nos considera.

Sr. Ednaldo, deveria se preocupar mais com seus árbitros nesses casos, da mesma forma que “preocupa” na época de suas reeleições quando nos solicita para mobilizarmos o maior número de presidentes de ligas para participar das suas reeleições.

Somos lembrados apenas nessa época?

A FBF poderia se mobilizar quando um dos seus federados estivesse em dificuldades, como já aconteceu com vários colegas que se acidentaram, tiveram prejuízos e não tiveram apoio algum da entidade.

O Sr. EDNALDO esquece, que hoje ele se encontra na capital em um patamar acima do nosso, mas suas raízes foram firmadas no interior, onde todos são tratados como irmãos, mas pelo visto, o PODER fez com que O SENHOR,  esquecesse de sua origem, motivo pelo qual, vejo que chegou a hora de passar o bastão dessa administração!!!

O poder faz o ser humano desvalorizar o seu semelhante e assim o senhor não é mais merecedor de ocupar o cargo que lhe foi confiado por nós.

Fica aqui, registrado minha indignação e repúdio a falta de consideração do nosso presidente da FBF por sequer ter a iniciativa de fazer uma ligação perguntando como eu estava após o acidente, e se precisava de algum apoio da Federação, é lamentável.!!!

Lembro-me ainda em tempo, que o ano retrasado (2015) vinha com um árbitro de Eunápolis, em jogo do campeonato intermunicipal onde sofri um acidente de carro e liguei para FBF falei com Sr. Wilson Paim (presidente da Ceaf)  informei o ocorrido e este cidadão, nem sequer me perguntou como eu estava, isso é consideração?

Espero q fatos como esse não aconteçam mais. Nós precisamos de mais apoio, mais atenção. Queremos consideração sempre!!! E não apenas servindo de recados para os presidentes de ligas em épocas de eleições.

É assim que vocês consideram seus árbitros?“

Elias Gonçalves Rufino

Arbitro da FBF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *